2021: todos nós podemos recomeçar agora e fazer um novo fim

O calendário mudou novamente, uma vez mais cumprimos nossa trajetória solar e a soma dos 365 dias programados para o ano de 2020 d.C. foi concluída. A história de nossa raça, a de seres humanos, é contada através das datas do calendário que provavelmente já existia há 2.700 anos a.C., e o dos egípcios, reconhecido pela sua precisão, já nos dava conta dos 365 dias. Atualmente, usamos o calendário gregoriano que surgiu em 1582 e tem este nome porque coube ao papa Gregório XIII instituí-lo – o objetivo era acertar as datas da melhor forma para que o ano natural (ciclo solar) pudesse estar representado no ano civil.

Hoje, passados 2021 anos, contados a partir deste calendário, rompemos a barreira de 2020 para adentrarmos para o novo ano, o de 2021. Vivemos aquele momento tão singular que estamos acostumados a sentir a cada novo ano. Muitos de nós preparam listas em que são inumerados objetivos, desejos, projetos e realizações para os dias que se seguirão no novo calendário que retorna ao seu início. Aquela famosa frase, atribuída a Chico Xavier, “Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo, mas pode recomeçar agora e fazer um novo fim”, parece que ganha um sentido verdadeiro neste novo ciclo e, como um combustível essencial, sustenta nossa vontade em recomeçar com nossos propósitos e planos. Que bom que é assim, que bom que esse sopro de esperança nos envolve a cada ano.

Você se lembra da sua “lista”, dos seus planos elaborados para terem início em 1/1/2020? Quais eram? Geralmente, figuram na nossa lista aquela viagem sonhada, aquele novo carro, a casa nova, a quitação das dívidas acumuladas, o novo relacionamento amoroso, a dieta que vai auxiliar na diminuição do peso, o novo emprego, ou até mesmo a nova vida com os planos de um bebê. Enfim, poderíamos elencar muitos planos. Claro que nas listas de alguns encontramos desejos mais ligados às conquistas imateriais, como novos sentimentos, espiritualização de hábitos e outras coisas.

Assim, ao convidar você, caro leitor, a resgatar seus desejos para 2020, nossa intenção é que possamos juntos descortinar o que realmente significou este ano que se findou. Provavelmente, alguns dos itens elencados foram adiados ou mesmo cancelados devido às mudanças inesperadas que foram impostas a toda humanidade no ano em que, literalmente, “o mundo parou”, silenciou. E por algum tempo, a sensação entre sermos protagonistas de nossas vidas, sendo capazes de direcionar nossos esforços e realizarmos o que quisermos, deu lugar a uma nova percepção, a de sermos espectadores de um roteiro existencial que, em 2020, teve contornos muito acentuados, quando nos sentimos impotentes diante de um “novo mundo”, que tínhamos que nos adaptar para viver, por conta de um risco eminente de colocarmos em risco nossas próprias existências físicas. Sim, esta sensação varreu o mundo, nos cinco continentes. Independentemente de qualquer coisa, nos igualamos como seres que viviam uma situação nova e inesperada, e a única saída que tivemos foi mudarmos, nos adaptarmos e nos unirmos para vencermos juntos esta situação, que jamais havia figurado nos planos de qualquer um de nós.

2020 termina com a oportunidade de mudança

O ano que se encerrou trouxe-nos uma grande oportunidade, ainda que imposta, de nos permitirmos mudar, de forma que, provavelmente, nossa “lista de desejos” de 2021, antes de ser uma sequência de coisas que sempre contavam com o enunciado de anos anteriores “neste ano novo eu quero…” para uma lista que mereça pelo menos mais dois novos enunciados aos desejos: “Se for possível, neste ano novo…”, “Eu realmente preciso?”

Olhemos para 2020 com a gratidão que o ano merece, certos de que, ao nos esforçarmos para mudar nossa forma de viver, de ver o mundo, de valorizar as questões mais básicas e mais simples, que anteriormente eram sufocadas pelos desejos “essenciais” para a nossa felicidade, descobrimos que é possível ser feliz assim. Percebemos que a flexibilidade para mudar nossos planos, a tolerância para com as condições inevitáveis e a força interior são capazes de realizações que jamais imaginávamos.

2021 chega com tantos desafios quanto deixamos em 2020, ou até mesmo mais do que antes. Por isso, renovemos nossas esperanças e, ao invés do ano novo no calendário para viver as experiências e os desejos, que supostamente deixamos de viver em 2020, aproveitemos para continuarmos a mudar, a nos descobrirmos, a nos reinventarmos como novos seres, continuemos a mudar. Não nos apeguemos no que ficou para trás, e sim em tudo que poderemos e certamente viveremos daqui para frente, não somente com o “novo ano”, mas com o “novo eu”, que cada um de nós é capaz de reconhecer que nasceu em 2020, e seguirá conosco daqui para frente. O nosso feliz ano novo dependerá do quanto feliz e novo formos a cada dia. Apesar de qualquer situação ou dificuldade, sempre podemos ser melhores.

Viva 2021 um dia de cada vez, colocando a sua melhor versão de 2020 em ação para desfrutar de tudo que você conquistou no ano em que aprendemos que nossos planos não são mais importantes do que o Plano que o Criador tem para nós, e a boa notícia é que o plano do Pai tem como destino certo o amor em sua plenitude em nossas vidas.

Feliz Você Novo em 2021!

Próximas Matérias

Quem faz?