É o vento, uai

Na noite de 30 de junho de 2002, este ano completando 20 anos, por volta das 19h30, em Uberaba (MG), o Brasil ganhava e perdia ao mesmo tempo. Na ocasião, retornava à Pátria Espiritual o abnegado e querido médium mineiro Francisco Cândido Xavier, exatamente na data em que a Seleção Brasileira de Futebol conquistava o pentacampeonato na Copa do Mundo, no Japão.

Como gostaríamos de lembrá-lo? Com o seu inesquecível bom humor, e nada como uma boa história do nosso “mineirim” querido:

Ah, o vento…

Certa vez, uma senhora foi até Uberaba e lá, diante do Chico, começou a se queixar de que não conseguia nada do que precisava, mesmo trabalhando na Doutrina e orando dia e noite. Ao ouvir suas queixas, Chico lhe disse:

– Quando a gente tem fé, quando confia, eles ajudam, minha filha!

Uma vez, em Pedro Leopoldo, eu ensinava catecismo às crianças, mas um dia me proibiram. Eu ensinava catecismo para quarenta crianças… E fui proibido porque me tornara espírita. Fiquei em casa. Mas as crianças queriam o tio Chico… Então as famílias levaram as crianças lá em casa.

E eu fiquei com muita pena, porque na igreja elas tinham lanche. Já eram duas horas e eu só tinha água e uns pedacinhos de pão em casa. Eram quarenta crianças… Como eu iria alimentar aquelas crianças? Eu fiz uma prece e pedi a Deus que me ajudasse, porque elas não podiam ficar sem comer. Como é que eu iria fazer?

Estávamos embaixo de uma árvore. E, então, um vento muito estranho começou a balançar as folhas da árvore. O vento uivava entre os galhos daquela árvore. Uma vizinha saiu e perguntou:

– Chico, que é isso? Que barulho é esse?

– O vento…

– O vento?!… E essas crianças aí?

– Catecismo!…

– Você não deu nada para elas comerem?

– Não tenho!…

– Oh, Chico! Eu tenho, aqui, bolo e pão.

E a outra vizinha do lado também apareceu e perguntou:

– O que foi isso, Chico? Que vento foi esse?

– O vento…

– E essas crianças aí?

– O catecismo…

E assim, doze famílias se reuniram e passaram a oferecer o alimento, o lanche daquelas crianças, por causa do vento. Ora e pede. Em seguida, presta atenção. Algo virá por alguém ou por intermédio de alguma coisa, doando-te, na essência, as informações ou os avisos que solicites. Ah, o vento…

Referências

BIA Rocha contando a história de Chico Xavier, com o livro “Menino Chico”, de Adeilson Sales. Pri Rocha, 10 jun. 2021. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ADthUHfGiqE. Acesso em: 26 maio 2022.

MARLENE Nobre: “Meus Pedaços do Espelho”, de Chico Xavier (nova entrevista). Portal Despertar, 22 mar. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ZQQAZmje-m4. Acesso em: 26 maio 2022.

Próximas Matérias

Quem faz?