Por que e como ensinar educação para o trânsito

O tema é uma grande oportunidade para falar sobre empatia, cooperação, amor ao próximo, cidadania e desenvolver diversas habilidades, como, por exemplo, a Geografia. “O trânsito é o local onde todos se encontram, mesmo que os vidros dos veículos estejam fechados ou que a pressa seja um impedimento para que as pessoas se olhem diretamente. Cada pedestre ou motorista é um personagem neste grande cenário da vida real, com vontades, necessidades e caminhos distintos. Mas é fato que todos compartilham um mesmo espaço. Por conta disso tudo, é possível afirmar que o trânsito faz parte da sociedade e é uma ótima representação dela.”

Como já foi dito inúmeras vezes e estudado pelo Espiritismo, os pais são os primeiros professores, e o lar é a primeira escola, portanto o exemplo tornará as crianças mais responsáveis no trânsito. O início de um processo de normalização é muito importante, e revertê-lo ao logo da vida é uma tarefa quase impossível, à medida que for sendo sedimentado. A criança crescerá acreditando que as infrações são normais, fazem parte do convívio social, o mundo é dos espertos e que não há problema algum em cometê-las. Uma cena comum e lamentável nos dias de hoje é a troca de “gentilezas verbais”. Convenhamos, não é uma boa forma de educar crianças para o trânsito. Se o adulto toma os devidos cuidados no trânsito, a criança crescerá mais responsável.

O período infantil é o mais importante para a tarefa educativa?

Emmanuel responde no livro O Consolador que o período infantil é o mais sério e o mais propício à assimilação dos princípios educativos. Até aos 7 anos de idade, o Espírito ainda se encontra em fase de adaptação para a nova existência que lhe compete no mundo. Nessa idade, ainda não existe uma integração perfeita entre ele e a matéria orgânica.

Suas recordações do plano espiritual são, por isso, mais vivas, tornando-se mais suscetível de renovar o caráter e a estabelecer novo caminho, na consolidação dos princípios de responsabilidade, se encontrar nos pais legítimos representantes do colégio familiar. Eis por que o lar é tão importante para a edificação do homem e por que tão profunda é a missão da mulher perante as leis divinas.

Passada a época infantil, credora de toda vigilância e carinho por parte das energias paternais, os processos de educação moral, que formam o caráter, tornam-se mais difíceis com a integração do Espírito em seu mundo orgânico material. Assim, atingida a maioridade, se a educação não se houver feito no lar, então só o processo violento das provas rudes, no mundo, pode renovar o pensamento e a concepção das criaturas, porquanto a alma reencarnada terá retomado todo o seu patrimônio nocivo do pretérito e reincidirá nas mesmas quedas, se lhe faltou a Luz interior dos sagrados princípios educativos.

Leia as questões n. 109 e 110 do livro O Consolador, de Emmanuel/Chico Xavier.

Educar é tarefa de todos, mas é você quem dá o exemplo

Cada saída de casa, seja uma ida ao mercado ou uma volta com o cachorro pelo quarteirão, é uma oportunidade de mostrar às crianças as regras básicas de trânsito e alertar sobre os perigos.

Ensine a criança, quando estiver a pé:

  • atravessar um cruzamento sempre em linha reta;
  • nunca atravessar a rua entre os veículos (se não houver faixa, aguarde);
  • andar na calçada não é 100% seguro. Cuidado com entradas e saídas de veículos;
  • ao descer de um ônibus, não atravesse a rua pela frente dele.
  • não corra para aproveitar o sinal verde para pedestre. Aguarde o próximo.

Quando estiver ao volante, dê o exemplo:

  • use o cinto de segurança mesmo em distâncias curtas;
  • nunca use o celular, nem para falar, nem para escrever ou checar as redes sociais;
  • não permita animais ou crianças nos bancos da frente (no colo ou no banco do carona);
  • jamais jogue algum tipo de lixo pela janela;
  • não se vire para conversar com passageiros ou observar algo fora do carro.

O papel de cada um dos personagens que compõem a sociedade

Pais

A educação sobre o trânsito começa em casa. Mesmo que a família não possua carro, já na infância o contato com o trânsito se dá de forma inevitável. Crianças são pedestres, ciclistas e passageiros e são muito mais vulneráveis que os adultos. Esta é mais uma razão para que elas sejam bem-educadas.

Por estarem inseridas no trânsito desde muito cedo, é muito importante que elas conheçam as regras básicas de trânsito, inicialmente para cuidarem da própria segurança. Os pais não devem perder nenhuma oportunidade de apontar situações erradas e falar sobre suas possíveis consequências.

Tão importante quanto alertar para os erros é falar sobre atitudes corretas. Faça a criança observar o uso do cinto, explique a função da seta, mostre e explique as cores do semáforo, chame a atenção para a faixa de pedestres, mostre o velocímetro e explique sobre limites de velocidade etc.

Uma dica muito valiosa é a seguinte: nunca dê a entender que as leis devem ser respeitadas para evitar punições. A criança precisa aprender que a responsabilidade no trânsito é algo que beneficiará a todos.

O bom exemplo é sempre a melhor forma de educar. No trânsito, ter essa iniciativa é fundamental. Além de educar os filhos, os pais também se tornam motoristas e pedestres mais responsáveis, automatizando bons hábitos e ficando mais atentos às leis de trânsito. Que pai ou mãe nunca levou uma bronca de um filho por falar ao celular enquanto dirige? Isso é sinal de que você está desempenhando bem o seu papel de educador, mas é claro que precisa melhorar nos exemplos que dá!

Escolas

Uma criança que já interiorizou as regras básicas de trânsito em casa está muito mais preparada para assimilar o que for aprender na escola. A função dos educadores é aprofundar a educação sobre o trânsito, além de corrigir eventuais falhas na educação recebida pela criança em casa. É na escola que as crianças começam a socializar, por isso percebem melhor a sua importância e o seu papel no trânsito.

O tema trânsito pode ser abordado nas escolas de forma transversal, ou seja, estando presente em todas as disciplinas. As crianças menores são beneficiadas com atividades lúdicas, como jogos, pinturas e canções, dando sequência ao que foi aprendido com suas famílias, fixando melhor as regras. Os maiores já estão preparados para um conhecimento um pouco mais avançado das regras de trânsito, assim como das consequências da irresponsabilidade. Nesse caso, a educação precisa considerar que eles já estão em uma fase da vida em que esperam ansiosamente por uma oportunidade de dirigir, por isso os professores devem ficar atentos.

Governo

Como problema que afeta a todos, é claro que o trânsito também é assunto do governo, nas esferas federal, estadual e municipal. As instituições públicas do Brasil são referência em educação para o trânsito. Não são poucas as prefeituras que promovem ações paralelas a iniciativas federais de educação para o trânsito, por exemplo.

Sabe aquela minipista de trânsito que recebe estudantes em sua cidade? Provavelmente é uma ação da prefeitura. Com carros de brinquedo, as crianças aprendem o significado das placas, a importância de atravessar a rua pela faixa e se divertem enquanto entendem a lógica dos semáforos.

Alguns departamentos estaduais e municipais de trânsito também promovem palestras e peças de teatro direcionadas a crianças.

O governo dá o suporte, as escolas sistematizam o ensino, mas cabe aos pais a educação de seus filhos para a educação e conscientização no trânsito.

Todas as dicas acima podem ser resumidas em apenas uma: respeite a sinalização. É a forma mais prática de educar crianças para o trânsito.

Ah! E só lembrando: nunca pare em fila dupla, especialmente em frente à escola!

Referências

ALLEN, V. G. Eu e meus sentimentos. Tradução de Rafaella Lemos. Rio de Janeiro: Sextante, 2020.

EDUCAR crianças para o trânsito é dever de todos. Icetran, 16 out. 2019. Disponível em: https://icetran.com.br/blog/educar-criancas-para-o-transito-e-dever-de-todos/. Acesso em: 25 fev. 2022.

EMMANUEL (Espírito). O Consolador. Psicografado por Francisco Cândido Xavier. 29. ed. Brasília, DF: FEB, 2013.

TOBIAS, O. Z. Código de Trânsito Brasileiro comentado. 20. ed. Leme, SP: Edijur, 2021.

Assista aos vídeos

PATETA e a direção defensiva – curso PROTEC. Daniel Marcos SJ, 19 fev. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Y8rFdNGZjNU. Acesso em: 25 fev. 2022.

PATETA no Trânsito. Genilson Siqueira Nascimento, 29 jun. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=_Tlk6e61E6w. Acesso em: 25 fev. 2022.

MÚSICA trânsito – Alô criança! Heróis da Educação, 2 set. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=vXd8f-hww08. Acesso em: 25 fev. 2022.

Próximas Matérias

Quem faz?