Qual a importância de Jesus na vida de Chico Xavier?

Total é a importância de Jesus para a vida e para a obra de Chico Xavier. Ainda criança, recebeu de sua mãezinha, dona Maria de São João de Deus, as primeiras noções sobre as bênçãos do Cristo e a reverência a Nosso Senhor Jesus. Aprendeu com ela a orar reverente e confiante, entregando sua vida nas mãos daquele que foi a luz do princípio.

Na infância, ao sofrer na orfandade as mais acerbas provações pela morte da genitora e pelos maus-tratos da madrinha, foi em Jesus que Chico Xavier encontrou as forças para esperar e vencer. Na juventude, ainda professando a fé Católica Romana, empregou suas forças juvenis na catequese das crianças, tarefa que assumiu na Igreja matriz junto ao Padre amigo Sebastião Scarzelo.

Conhecendo o Espiritismo Cristão com 17 anos, entregou-se de alma e coração à tarefa da mediunidade com Jesus, fazendo de sua vida um compromisso de amor com a Verdade, vivendo um apostolado consolador jamais visto ou presenciado na história humana terrestre.

Chico Xavier supriu em nós a saudade de 20 séculos da presença de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Divino Amigo de nossa estrada evolutiva.

Pelos seguintes 75 anos de sua existência profícua, soube, como nunca, exemplificar os ensinos da Boa Nova de Jesus, transformando-se numa ponte de luz e esclarecimento, conforto e bênçãos, pelas mensagens que recebia das fontes cristalinas do Planos da Vida Maior, até hoje convertidas em quase 535 livros de sua exemplar lavra mediúnica.

Chico Xavier não foi apenas um fenômeno mediúnico único e insuperável, mas, principalmente, um fenômeno humano inigualável, verdadeiro apóstolo de Jesus em plena era contemporânea, fazendo-nos reviver os passos do Cristianismo primevo, sentindo Jesus de novo para o coração do povo.

Causa do Cristo

A caridade foi o seu selo de adesão à Causa do Cristo, pelo qual ele para sempre será lembrado. Chico Xavier jamais deixou de se dedicar ao trabalho da fraternidade mais legítima, fazendo da solidariedade a sua própria marca, sem jamais se vangloriar dela, sabendo demonstrar-se simples e humilde de coração.

Chico tinha um dom único, o de se fazer tão humano quanto nós outros, que o conhecemos e convivemos com ele, colocando-nos totalmente à vontade na sua presença amorosa e compassiva.

Chico Xavier supriu em nós a saudade de 20 séculos da presença de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Divino Amigo de nossa estrada evolutiva.

Abaixo transcrevo alguns trechos de uma mensagem que recebemos por intermédio da psicografia, de autoria do Espírito de Veneranda, quando se completou um ano da desencarnação de Chico Xavier.

Hosanas

Bem-aventurado és, Francisco Cândido Xavier, porque abrigaste a humildade de Espírito e hoje é teu também o reino dos Céus.

Bem-aventurado és, porque choraste resignado e agora foste consolado.

Bem-aventurado és, porque guardaste a mansuetude e, por isso, herdaste a terra dos nossos corações reconhecidos.

Bem-aventurado és, porque tiveste fome e sede de justiça, e foste saciado pelo Eterno Juiz.

Bem-aventurado és, porque usaste de misericórdia para com as faltas alheias e a misericórdia divina te alcançou.

Bem-aventurado és, porque mantiveste limpo o vaso do coração e, por isso mesmo, viste a Deus.

Bem-aventurado és, porque foste pacificador e, em razão disso, és chamado filho de Deus.

Bem-aventurados, Francisco Xavier, foram os teus olhos, porque viram a luz; foram os teus ouvidos, porque ouviram a palavra de Deus; foram os teus pés, porque andaram no caminho da verdade e da vida; foram os teus braços, porque trabalharam sem cessar na extensão da boa nova do Cristo no mundo; foram as tuas mãos, porque multiplicaram, a mancheias, as bênçãos dos livros da regeneração humana, quais filhos das estrelas do firmamento…

Bem-aventurado és, Cândido Xavier, porque foste o servo fiel, prudente e vigilante, e a causa de Jesus não foi motivo de tropeço à tua alma.

Bem-aventurado és, porque, antes, foste perseguido, injuriado e, mentindo, disseram toda a sorte de males contra ti, por causa de nosso Senhor e, no entanto, não te abalaste na fé.

Regozija-te agora e exulta, porque grande é o teu galardão no reino dos Céus. E assim é porque soubeste ser o menor dos discípulos de Jesus; porque aprendeste a ser o servo de todos os corações aflitos e sobrecarregados que te buscaram em nome de Deus.

Estivemos com fome e nos deste de comer.

Estivemos com sede e nos deste de beber.

Estivemos com frio e nos vestiste.

Estivemos sem teto e nos abrigaste.

Estivemos doentes e foste nos visitar.

Estivemos presos e vieste nos ver.

Mas, mil vezes mais, bem-aventurado sejas, Irmão Xavier, porque, arrebatado às glórias celestes quando de tua partida deste mundo, passado breve e justo tempo de teu repouso preferiste descer novamente em busca de nossos corações, teus irmãos da retaguarda.

Por tudo isso, querido amigo, bem-aventurado sejas por todo o sempre!

Nós, os Espíritos que dão testemunho de tuas obras perante Deus, nosso Pai, diante de Jesus, nosso Senhor, e aos homens de boa vontade na face da Terra, e além dela, repetimos ainda, agora e sempre: bem-aventurado és, Chico Xavier!

Alma querida e boa, Deus te guarde e abençoe!

Gratidão[1]


[1] Mensagem psicografada por Geraldo Lemos Neto, em reunião pública no Centro Espírita Luz, Amor e Caridade, em Belo Horizonte-MG, na noite de 30/06/2003, data em que se comemorou o primeiro aniversário da desencarnação do querido médium, benfeitor e amigo Francisco Cândido Xavier.

Próximas Matérias

Quem faz?