Vacinas espirituais, tão indispensáveis quanto as físicas

“Tudo o que serve para corrigir, elevar, educar e construir nasce, primeiramente, no esforço da vontade unida à decisão” (Emmanuel, Rumo certo, item 26, psicografia de Francisco C. Xavier).

a vacina e o coronavírus

Vivemos em um planeta que luta incansável contra um vírus potente e é importante entender que, assim como as vacinas físicas, as vacinas espirituais são indispensáveis para o sucesso deste embate. Convulsiona o planeta mergulhado numa das mais escabrosas pandemias já vivenciadas pela humanidade. Dores de toda ordem assolando corações. Familiares e amigos diletos deixando este mundo rumo à Pátria Espiritual.

Sofrimentos, lágrimas, saudades…

Cientistas, missionários de Deus na área da saúde, usando todos os recursos possíveis, no âmbito dos laboratórios, em busca de um antídoto ou um preventivo contra tão nefasto mal. E a tão sonhada vacina vem renovando as esperanças do povo. Poção medicamentosa que visa sustentar a saúde do corpo, louvável instrumento que o Espírito usa para desenvolver seu programa de trabalho na Terra, buscando a conquista de valores que lhe assegure progresso. Outras tantas vacinas já surgiram e propiciaram aos homens os mais intensos e valiosos benefícios. Vacinas físicas, importantes e necessárias aquisições para todos nós.

É imperioso lembrar também sobre as vacinas espirituais, tão indispensáveis quanto as físicas. Umas protegem o corpo, outras beneficiam o Espírito. Ambas sustentam o conjunto formado pelas naturezas material e espiritual.

Alegria, otimismo, esperança…

Usando a vacina da alegria, estaremos imunizados contra o ataque deletério e desestabilizador que a tristeza provoca, gerando emoções desequilibradas e doentias.

Utilizando a vacina do ânimo, estaremos protegidos contra os males angustiantes do abatimento, precursor da acomodação destrutiva.

Recorrendo à vacina da esperança, faremos frente aos espinhos perigosos da descrença, esse monstro devorador do otimismo.

Quando buscamos pela vacina da coragem, nos fortalecemos sobremaneira para o enfrentamento da apatia e da inércia.

Caridade, humildade e gratidão…

Vacinados pela caridade, estaremos equipados com a sensibilidade necessária para vencer a indiferença e agirmos em prol daqueles que seguem pela vida em situação de amargura.

Imunizados pela vacina da gratidão, reconheceremos o apoio que recebemos de familiares, amigos e demais componentes no nosso núcleo social, pois ninguém sobrevive no isolamento total.

Desejando a vacina da humildade, criaremos em nós o antídoto que combate ferozmente o orgulho, essa chaga terrível que despeja rios de dor e lágrimas por onde passa.

Com a vacina do desprendimento e da fraternidade, estaremos aptos a superar os tentáculos raivosos do egoísmo, vício radical com poderes de conduzir a sociedade pelos trilhos da insensibilidade e dos equívocos.

De posse da vacina da paz e da serenidade, estaremos munidos dos mecanismos edificantes que estarão potencializados para vencer as garras ferinas da violência, que tantos sofrimentos acarretam à humanidade.

Vacinados pela fé, nada abalará a nossa jornada rumo ao progresso espiritual, uma vez que a força da convicção e o poder da razão nos indicarão o verdadeiro caminho na direção de Jesus, o Mestre que nos ofertou o maior e mais profundo manual de boa convivência, o seu Evangelho.

Reflitamos.

Fonte
Rumo certo, Emmanuel/Chico Xavier

Próximas Matérias

Quem faz?