AMIGO FOLHA ESPÍRITA

Você pode ajudar a divulgação da Doutrina. Colabore com a Folha Espírita e faça a sua parte

Quero Contribuir

ir

ir

ir

ABRIL/2024

ir

MARÇO/2024

ir

FEVEREIRO/2024

ir

JANEIRO/2024

ir

DEZEMBRO/2023

ir

NOVEMBRO/2023

ir

OUTUBRO/2023

ir

SETEMBRO/2023

ir

AGOSTO/2023

ir

JULHO/2023

ir

JUNHO/2023

ir

MAIO/2023

ir

ABRIL/2023

ir

MARÇO/2023

ir

FEVEREIRO/2023

ir

JANEIRO/2023

ir

DEZEMBRO/2022

ir

NOVEMBRO/2022

ir

OUTUBRO/2022

ir

SETEMBRO/2022

ir

AGOSTO/2022

ir

JULHO/2022

ir

JUNHO/2022

ir

MAIO/2022

ir

ABRIL/2022

ir

MARÇO/2022

ir

FEVEREIRO/2022

ir

JANEIRO/2022

ir

DEZEMBRO/2021

ir

NOVEMBRO/2021

ir

OUTUBRO/2021

ir

SETEMBRO/2021

ir

AGOSTO/2021

ir

JULHO/2021

ir

JUNHO/2021

ir

MAIO/2021

ir

ABRIL/2021

ir

MARÇO/2021

ir

FEVEREIRO/2021

ir

JANEIRO/2021

ir

DEZEMBRO/2020

ir

NOVEMBRO/2020

ir

OUTUBRO/2020

ir

Opinião espírita

Neste livro, os autores espirituais subordinaram todos os estudos da Doutrina Espírita a questões apresentadas nas obras de Allan Kardec. É um convite à meditação, a fim de que se possa edificar a influência do Espiritismo em todos os meios. Os médiuns Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira e os Espíritos Emmanuel e André Luiz, abnegados benfeitores espirituais, formaram os capítulos desse volume, responsabilizando-se o primeiro pelas mensagens de números pares e o segundo pelas de números ímpares, mensagens estas que foram psicografadas por ambos os médiuns em reuniões públicas.

Os autores espirituais subordinaram todos os estudos a questões relacionadas na Codificação Kardequiana, cujos cinco tomos fundamentais estão enumerados no presente livro pelas siglas seguintes: L – O livro dos Espíritos; E – O Evangelho segundo o Espiritismo; M – O livro dos médiuns; C – O céu e o inferno; G – A Gênese.

“Oferecendo aos leitores amigos as páginas deste livro, esclarecemos, portanto, que nós, os espíritas encarnados e desencarnados, acatamos cultos e preconceitos, conceituações e interpretações dos outros, venham de onde vierem, como não pode deixar de ser, mas, nisto ou naquilo, possuímos opinião própria que não podemos nos esquecer, nem desprezar” (Emmanuel).

Fonte:

Opinião espírita, Chico Xavier e Waldo Vieira/Emmanuel e André Luiz.

Próximas Matérias