Arma de fogo não é brinquedo. Por uma Cultura de Paz!

bandeira branca e arma de fogo

A cada 60 minutos, uma criança ou adolescente morre no Brasil em decorrência de ferimentos por arma de fogo. De 1997 a 2016, mais de 145 mil jovens com até 19 anos desencarnaram em consequência de disparos acidentais ou intencionais, como em casos de homicídio e suicídio. Os dados fazem parte de um levantamento divulgado em 2019 pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

De acordo com o estudo, que considerou dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, em 2016, ano mais recente disponível, foram registrados 9.517 óbitos entre crianças e adolescentes no país. O número é praticamente o dobro do identificado há 20 anos – 4.846 casos em 1997 – e representa, em valores absolutos, o pico da série histórica.

O levantamento mostra que, a cada duas horas, uma criança ou adolescente dá entrada em um hospital da rede pública de saúde com ferimento por disparo de arma de fogo. De 1999 a 2018, foram registradas quase 96 mil internações de jovens com até 19 anos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Para a presidente da SBP, dra. Luciana Rodrigues Silva, é imprescindível que as autoridades assegurem a paz e a integridade dos jovens e daqueles que cuidam de seu bem-estar. “O país precisa de medidas efetivas para aumentar a segurança das nossas crianças e adolescentes, e também dos profissionais que os acompanham nas escolas, nas unidades de saúde, nos centros desportivos e outras instalações do tipo”.

Afinal, o que é a Cultura de Paz?

Cultura de Paz é um movimento que agrega um conjunto de valores, atitudes, tradições, comportamentos e estilos de vida baseados no respeito à vida, no fim da violência e na promoção e prática da não violência.

A iniciativa foi lançada oficialmente pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 1999. Desde então, a Unesco e todos os apoiadores do movimento empenham-se em prevenir situações que possam ameaçar a paz e a segurança por meio do diálogo e da educação. Metas que se estreitam com os objetivos do Movimento Aliança pela Infância.

Onde é aplicada?

De acordo com as orientações da Unesco, para se semear a Cultura de Paz nas escolas, é preciso que um ambiente pacífico e conciliador seja construído no dia a dia da sala de aula, nos pequenos atos.

Leia também: Perdão a chave da paz

Cultura de Paz por meio da educação

Lista de medidas para promover a PAZ:

  1. revitalizar as atividades nacionais e a cooperação internacional destinadas a promover os objetivos da educação para todos, com vistas a alcançar o desenvolvimento humano, social e econômico, e promover uma Cultura de Paz;
  2. zelar para que as crianças, desde a primeira infância, recebam formação sobre valores, atitudes, comportamentos e estilos de vida que lhes permitam resolver conflitos por meios pacíficos e com espírito de respeito pela dignidade humana e de tolerância e não discriminação;
  3. preparar as crianças para participar de atividades que lhes indiquem os valores e os objetivos de uma Cultura de Paz;
  4. zelar para que haja igualdade de acesso às mulheres, especialmente as meninas, à educação;
  5. promover a revisão dos planos de estudo, inclusive dos livros didáticos,  levando em conta a Declaração e Plano de Ação Integrado sobre a Educação para a Paz, os Direitos Humanos e a Democracia, para o qual a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura prestaria cooperação técnica, se solicitada;
  6. promover e reforçar as atividades dos agentes destacados na Declaração, em particular a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, destinadas a desenvolver valores e aptidões que beneficiem uma Cultura de Paz, inclusive a educação e a capacitação na promoção do diálogo e do consenso;
  7. estimular as atividades em curso das entidades ligadas ao sistema das Nações Unidas a capacitar e educar, quando for o caso, nas esferas da prevenção dos conflitos e gestão de crises, resolução pacífica das controvérsias e na consolidação da paz após os conflitos;
  8. ampliar as iniciativas em prol de uma Cultura de Paz empreendidas por instituições de ensino superior de diversas partes do mundo, inclusive a Universidade das Nações Unidas, a Universidade para a Paz e o projeto relativo ao Programa de universidades gêmeas e de Cátedras da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Próximas Matérias

Quem faz?