Como Jesus pode ser o leme de nossas vidas?

“Talvez eu tenha muitas dificuldades para ser uma serva fiel, no entanto, no íntimo de minha alma, é isso que eu quero. É isso que eu anseio com toda a pureza que eu possa vir a ter, que eu tenha ou que eu imagino ter” (Marlene Nobre, março de 2013).

Sim, desejamos todos seguirmos os passos do Mestre Nazareno, servir à causa de Amor que Ele nos apresentou. Mas será que realmente colocamos Jesus no leme de nossas vidas? Ao elegermos o Cristo como Nosso Modelo e Guia, avançamos para uma compreensão clara de que a célebre frase de Jesus “Não se pode servir a Deus e a Mamon” deve realmente ecoar dentro de nós. O desafio para se seguir o Mestre requer esforço e sacrifício. Colocá-lo no leme de nossas vidas é uma escolha da qual, certamente, se o fizermos na acepção da palavra, não encontraremos decepções nem infelicidades.

Apesar das alegrias e conquistas edificantes que tal escolha nos traz, por que é tão difícil vivenciarmos na plenitude a condução de nossos passos na direção do Cristo? Disse-nos o Mestre: “Eu vim para servir…” Se Ele assim nos disse, também devemos nos conscientizar de que a rota a ser seguida é a do Serviço do Bem, de forma constante e incessante. Se elencarmos em nossa memória os exemplos que temos de seguidores fiéis de Jesus, inevitavelmente encontraremos a entrega ao semelhante como traço.

Disse-nos, a dra. Marlene: “O problema que temos vivido é que os cristãos de hoje querem ser servidos, e não servirem”, e isto nos afasta de Jesus. Quando nos colocamos à frente de alguém, estamos enchendo nossa nau existencial de um peso enorme, que nos paralisa e que, por muitas vezes, nos leva ao naufrágio. Isso mesmo, afundamos com nossas próprias aspirações, mazelas e conquistas efêmeras. Aquele que deseja seguir Jesus deve se dispor a abandonar a transitoriedade da vida terrena e seguir o exemplo que nos foi legado por Ele.

Colocar Jesus no leme significa ainda não se indignar ou mesmo questionar as situações contrárias que venham surgir na caminhada. O benfeitor Emmanuel, no livro Fonte viva, nos lembra sobre a confiança que devemos ter e ressalta: “Dizes poder confiar no poder do Cristo, mas se o dia aparece em cores contrárias à tua expectativa, demonstras deplorável indigência de fé na inconformação”. Quem nunca se sentiu assim?

Se você sente que a embarcação de sua vida tem se distanciado do roteiro seguro de Jesus, pare, reflita e não espere. Realize, sirva o quanto podes, hoje agora e sempre e Jesus estará no leme.

O exercício sincero para que os ensinamentos do Divino Mestre possam pautar nossos dias nos pede essa entrega. Emmanuel nos diz: “Declaras aceitar o Evangelho em sua simplicidade e pureza, contudo, se o Senhor te pede algum sacrifício perfeitamente compatível com tuas possibilidades, exibes incontestável carência de cooperação, lançando reptos e solicitando reparações”.

Em todos, literalmente, todos os momentos de nossas vidas, podemos escolher o caminho exemplificado por Jesus. Não que seja fácil, mas é possível. Em qualquer tempo e situação, podemos expressar em nossos pensamentos e atos o que a dra. Marlene nos ensinou na frase inicial, que é o que ela denominou desse “desejo sincera”, essa vontade genuína de querer servir e seguir Jesus.

O nosso saudoso professor Paulo Severino, se não me falha a memória, em uma resposta a uma leitora da Folha Espírita, grafou assim: “Se tudo que você tem tentado em sua vida para ser feliz não tem dado resultados, porque não tentar Jesus”.

Como folhas lançadas ao vento, vagamos de um lado para o outro e elegemos a cada instante soluções mágicas que devem nos proporcionar o bem-estar, mas a cada nova escolha aumentam nossas decepções e dores. Somos capazes de sacrifícios gigantescos em nossas vidas, por exemplo, para o culto ao corpo, para a conquista de bens materiais, ou tantas outras coisas. No entanto, somos incapazes de nos conectarmos com Jesus e a Espiritualidade Maior por alguns minutos em nossa rotina diária.

Jesus pode seguir no leme de nossas vidas, mas para tanto é preciso que nos entreguemos, que vivenciemos o Cristo e que o sigamos. O serviço no bem constitui a escolha certa para a vivência cristã. Deixar que Jesus esteja no leme não significa a espera inerte do senhor que deve nos conduzir, mas, efetivamente, se colocar em regime de serviço constante, e com isto Servir ao Pai. Se você sente que a embarcação de sua vida tem se distanciado do roteiro seguro de Jesus, pare, reflita e não espere. Realize, sirva o quanto podes, hoje, agora e sempre e Jesus estará no leme.

Próximas Matérias

Quem faz?