Nunca se deve perder a esperança, o leme quem comanda é Jesus

W.A.Cuin

“O homem bem compenetrado de sua destinação futura não vê na vida corporal senão uma estada passageira. É para ele uma parada momentânea em má hospedaria. Ele se consola facilmente de alguns desgostos passageiros de uma viagem que deve conduzi-lo a uma posição tanto quanto melhor tenha se preparado” (Comentário de Allan Kardec na questão n. 921, de O livro dos Espíritos).

É o filho amado que não responde às suas expectativas, desviando-se pelas veredas trevosas das viciações.

É o familiar querido que partiu para a vida espiritual deixando enorme lacuna, fazendo-o mergulhar no aguaceiro da saudade incontida.

É o ninho doméstico que lhe reserva espinhos de incompreensão onde não entendem os seus anseios.

É o trabalho profissional, fora de suas vocações, mas que precisa ser realizado, visando à manutenção e sobrevivência dos entes queridos.

É a angústia aparentemente inexplicável, que assola seu âmago a derramar o fel da tristeza em seus dias.

É o abandono que você se submeteu para poder seguir honrando seus compromissos com honestidade e retidão de caráter.

É o desânimo a torturar suas horas prostrando-o na inércia e no comodismo, sem a mínima vontade de continuar a viver.

É a miséria material rondando seu lar e o impedindo de poder oferecer aos filhos do coração um pouco de conforto.

É a insegurança e a agitação do momento hodierno a roubar sua paz e a ofertar-lhe o vinagre do medo e da incerteza quanto aos dias do porvir.

Concordamos que é muito difícil dar um atestado de equilíbrio total quando se sofre, acalentando no íntimo qualquer agente perturbador. No entanto, não podemos jamais olvidar que somos filhos de Deus e que estamos todos inseridos no contexto das justas e sábias leis divinas.

Assim sendo, antes de cultuar no coração o inimigo que se apresenta nas formas que enumeramos, é imperioso resistir, combatendo-o com virtudes que estão ao seu dispor.

Se o filho não aceitou as rédeas da disciplina, pense que antes de ser seu filho, é filho de Deus, e o Pai Celestial não desampara nunca.

Se algum familiar desencarnou, lembre-se de que ele não morreu, apenas trocou de endereço separando-se momentaneamente do seu convívio.

Se não é compreendido em seu lar, pode contar sempre com a compreensão dos benfeitores espirituais.

Se trabalha em atividades alheias à sua verdadeira vocação, mesmo assim continue a servir e desenvolverá seu potencial em área que desconhece.

Se angústia e tristeza vieram o visitar, lembre-se dos irmãos que sofrem muito mais do que você e saia a servi-los.

Se ficou isolado no mundo para não se perder nos labirintos enganosos da velhacaria, prossegue, Deus está do seu lado.

Se o desânimo insiste em o torturar, persevere e verá que é possível vencer o comodismo com a força de vontade.

Se necessidades materiais atormentam sua vida, insista no trabalho, e os recursos divinos jamais o abandonarão.

Se o momento atual é de insegurança e violência, cientifique-se de que o leme do mundo está sob o comando seguro de Jesus.

Então, meu irmão, mude a direção de suas forças antes de depositá-las no pessimismo, coloque-as na esperança e no otimismo e poderá, em breve, reconhecer os prodígios do progresso que se fará ao seu redor.

Confie. Trabalhe.

Próximas Matérias

Quem faz?