AMIGO FOLHA ESPÍRITA

Você pode ajudar a divulgação da Doutrina. Colabore com a Folha Espírita e faça a sua parte

Quero Contribuir

ir

ir

ir

ABRIL/2024

ir

MARÇO/2024

ir

FEVEREIRO/2024

ir

JANEIRO/2024

ir

DEZEMBRO/2023

ir

NOVEMBRO/2023

ir

OUTUBRO/2023

ir

SETEMBRO/2023

ir

AGOSTO/2023

ir

JULHO/2023

ir

JUNHO/2023

ir

MAIO/2023

ir

ABRIL/2023

ir

MARÇO/2023

ir

FEVEREIRO/2023

ir

JANEIRO/2023

ir

DEZEMBRO/2022

ir

NOVEMBRO/2022

ir

OUTUBRO/2022

ir

SETEMBRO/2022

ir

AGOSTO/2022

ir

JULHO/2022

ir

JUNHO/2022

ir

MAIO/2022

ir

ABRIL/2022

ir

MARÇO/2022

ir

FEVEREIRO/2022

ir

JANEIRO/2022

ir

DEZEMBRO/2021

ir

NOVEMBRO/2021

ir

OUTUBRO/2021

ir

SETEMBRO/2021

ir

AGOSTO/2021

ir

JULHO/2021

ir

JUNHO/2021

ir

MAIO/2021

ir

ABRIL/2021

ir

MARÇO/2021

ir

FEVEREIRO/2021

ir

JANEIRO/2021

ir

DEZEMBRO/2020

ir

NOVEMBRO/2020

ir

OUTUBRO/2020

ir

Expectativas para Nosso Lar 2 – os mensageiros

A estreia de Nosso Lar 2 – os mensageiros traz muitas perspectivas para a disseminação da Doutrina Espírita não só no Brasil, especialmente se considerarmos a excelente repercussão de Nosso Lar, lançado há 10 anos e que ainda influencia a vida de muitas pessoas em todo o mundo. Por isso, a Folha Espírita colheu depoimentos de personalidades espíritas sobre como as obras Nosso Lar e Os mensageiros impactaram suas vidas e a disseminação da Doutrina Espírita, além de suas expectativas para o filme Nosso Lar 2, visto que temas como mediunidade, obsessão e a presença dos desencarnados em nossas vidas estarão mais presentes nessa continuação.

Acompanhe, abaixo, os depoimentos.

Oceano Vieira de Melo

Oceano é jornalista, pesquisador e documentarista, fundador da Versátil Home Vídeo. Pesquisador, documentarista e produtor de filmes espíritas, trabalha na construção de um acervo de som e imagem sobre o desenvolvimento do Espiritismo no Brasil.

“A obra Os mensageiros, para mim, ampliou os conhecimentos do que aprendemos em Nosso Lar e ensina a colocar em prática, mais uma vez, a missão dos médiuns e da mediunidade na crosta terrestre. O nobre Espírito Aniceto é um mestre espiritual que prepara médiuns que fracassaram em suas missões pela vaidade. A bondade, inerente a todas as pessoas, é revelada pelo Espírito André Luiz em visita à Terra.

Para mim, a série “A vida no mundo espiritual” foi composta para aproximar a ciência acadêmica com os conhecimentos espirituais e a fé. Depois da negação da fé por Charles Richet (1850-1935) e do abandono de sua missão por Waldo Vieira (1932-2015), os Espíritos do Senhor prepararam antes uma jovem de berço espírita, enviaram-na para Uberaba (MG) para estudar medicina e ficar perto do seu mestre até ela se formar e ele pedir que ela vá para São Paulo para com outros nascidos no mesmo berço propagar para o mundo a obra de André Luiz, que aproxima a ciência espírita da ciência acadêmica. É por meio dessas obras de André Luiz que pessoas com tendências materialistas descobrirão o que Richet e Vieira não perceberam: a importância da humildade e da bondade. O diretor Wagner de Assis terá uma grande oportunidade neste filme de inserir em sua obra cinematográfica cenas que a Sétima Arte em seus 128 anos jamais mostrou. Cenas contidas na obra de André Luiz e na criatividade poética que só o cinema pode criar. Em Nosso Lar foi só o começo.”

Roberto Lúcio Vieira de Souza

Roberto Lúcio é médico e psiquiatra; diretor e médico-assistente do Hospital Espírita André Luiz. Foi vice-presidente da Associação Médico-Espírita do Brasil (AME-Brasil) e sócio-fundador da AMEMG, onde é vice-presidente desde 2016. Médium e expositor espírita com participação em eventos nacionais e internacionais.

“Iniciei na Doutrina Espírita estudando as obras da Codificação. Fui estudar a coleção de André Luiz algum tempo depois. A primeira obra da série também foi o primeiro livro lido. Como já tinha uma base doutrinária estruturada, não sofri o impacto da dúvida – como muitos! O que me encantou foram as informações sobre a vida após a morte física, narrada de forma descritiva e com riquezas de detalhes. No entanto, confesso que, como muitos leitores, durante muito tempo, interpretei mais de forma mística e acreditei que o relato seria uma forma única de experiência no além.

Hoje, tenho a certeza de que existem experiências diversas e diferentes, em dimensões diferenciadas ao redor da Terra. Muitas lições são de tal forma profundas que poucos conseguem apreender as informações ali deixadas. Reconheço que estudei com muitos espíritas reconhecidos pelo seu conhecimento doutrinário, mas nenhum deles se aproximou da capacidade da Dra. Marlene Nobre. Com ela, aprendi a estudar e compreender os textos de André Luiz de uma forma peculiar e efetiva. As experiências de André Luiz, após seu desencarne, e as consequências para seu Espírito foram as que mais me impactaram.

O livro Os mensageiros é um bálsamo e um consolo para os estudiosos e mesmo para quem tem menos conhecimento, pois fala daqueles que, verdadeiramente, são os orientadores para apaziguar, aliviar e aprimorar as pessoas. Espero que o novo filme possa chamar a mesma atenção do anterior. Isso poderia ser mais impactante socialmente se as instituições espíritas e os adeptos atuassem efetivamente na divulgação. Acredito que a temática vai tocar muito aqueles que forem ao cinema assistir, por falar de obsessão e mediunidade.”

Irvênia L. S. Prada

Irvênia Prada é médica-veterinária. É membro das Associações Médico-Espíritas (AMEs) de São Paulo, do Brasil e Internacional. É idealizadora e coordenadora do Movimento Cultural de Medicina Veterinária e Espiritualidade (MEDVESP) e do Núcleo de Medicina Veterinária e Espiritualidade (NUVET) da AME-SP e AME-Brasil.

“Toda obra de André Luiz causa muito impacto na nossa vida. A Dra. Marlene Nobre se referia a cada uma das obras com muito entusiasmo, sempre ressaltando o aspecto não só das informações pioneiras no âmbito da ciência, mas também das lições de vida. Nosso Lar e Os mensageiros são lições de vida extraordinárias. Em Nosso Lar, toda a narrativa minuciosa que André Luiz faz desde seu desencarne, sua surpresa no plano espiritual querendo levar seus títulos de médico, de pessoa importante, do ponto de vista da inserção social, tudo isso acaba calando fundo na nossa alma. Passamos a entender que as coisas não funcionam assim, toda essa soberba do plano material e toda a importância que damos à posição de cada indivíduo na comunidade não têm importância nenhuma. A partir do momento que ele começou a entender como é que as coisas funcionam, quais são os verdadeiros valores da vida, ele passa então a se colocar na situação de aprendiz, e toda a obra dele, em que ele é acompanhado por um mentor, por um instrutor, revela isso.

Os Mensageiros têm momentos incríveis. Um exemplo é quando André Luiz está no Ministério da Comunicação e vê todos aqueles Espíritos que se dispõem a missões, socorristas na crosta terrestre para ajudar as pessoas e intuí-las, mas eles acabam falhando. Ficamos assustados com a facilidade com que, depois de encarnados, nos esquecemos das propostas que fazemos no plano espiritual, pois ficamos seduzidos pelas coisas do plano terreno e acabamos nos envolvendo e esquecendo.

Tem também aquela prece de Ismália, nossa, que coisa bonita! André Luiz descreve que, à medida que ela vai fazendo aquela prece tão emotiva, vão caindo do alto vibrações que ele identifica como se fossem flocos de neve brancos e que vão caindo em igual quantidade sobre a cabeça de todas as pessoas, penetrando na organização perispirítica e orgânica de cada um. Narra como cada um metaboliza de maneira diferente, segundo seu nível evolutivo. Depois, aquelas vibrações vão saindo, se não me engano, do peito, dos olhos e das mãos de cada pessoa em direção aos enfermos em velocidade e coloridos diferentes. Que coisa extraordinária! Por isso que Emmanuel nos recomenda esforço na autoiluminação, não para nos tornarmos egoisticamente melhores que os outros, mas para podermos adquirir condições melhores de trabalhador de servidor na seara do mestre.

Estes dois livros têm lições maravilhosa da escola da vida, que é a escola mais importante na qual todos nós estamos matriculados e que não tem diploma nem formatura, porque as lições não terminam.”

João Pinto Rabelo

João Pinto Rabelo é diretor da FEB Cinema

“Nosso Lar criou um grande impacto no movimento espírita, porque fala de uma cidade no mundo espiritual, de acontecimentos cotidianos dos Espíritos. Desse modo, o filme não foi diferente. O presidente da FEB de então, Nestor João Masotti, costumava dizer que a FEB demorou 10 anos para vender 2 milhões de exemplares do livro, e o filme teve 2 milhões de espectadores no primeiro final de semana em que foi lançado. Isso mostra como é importante o cinema, o impacto que ele provoca, a alteração na vida das pessoas. Esperamos que Nosso Lar 2 tenha o mesmo efeito. Pela qualidade, pelo avanço da tecnologia, não há dúvida de que essa sequência vai ser muito mais rica e mais convidativa do que o primeiro.

A Doutrina Espírita é muito rica. A FEB tem em sua biblioteca de obras raras, aproximadamente, 600 títulos diferentes. Quase todos podem dar um filme com igual impacto. A FEB Cinema surgiu com o objetivo de organizar para que todo ano seja lançado um filme espírita no mercado. Cada filme desse tem que ser muito analisado, desde o roteiro, o contrato e acompanhamento das filmagens, porque, afinal de contas, é a mensagem espírita, com a grandessíssima vantagem de que os filmes não têm fronteiras.

Nossa expectativa é que Nossos Lar 2 tenha mais público do que Nosso Lar. Vemos agora que as pessoas estão voltando aos poucos ao cinema, por isso acreditamos que vamos conseguir ter um bom público. O reconhecimento geral da sociedade sobre o tema encarnação já está mais avançado, e o novo filme trata, de forma muito bonita, da presença dos desencarnados em nossas vidas. Vejamos o filme com a beleza que ele traz e tiremos o melhor proveito para nossa evolução espiritual.”

Gilson Luís Roberto

Gilson é médico homeopata e presidente da AME-Brasil.

“As obras de André Luiz geraram um profundo impacto na minha vida, me despertaram um entendimento novo, ampliaram a minha consciência quanto à realidade do mundo espiritual e à importância da nossa encarnação, de aproveitarmos cada minuto, cada segundo da nossa existência. Ele tem uma forma muito peculiar de descrever o mundo espiritual. De uma maneira muito intimista, relata seus sentimentos, suas emoções, nos aproximando daquela experiência que ele está relatando, além das reflexões profundas que os benfeitores com que ele convive nos trazem. Ele também traz bastante informações da área da medicina, uma série de conhecimentos e de reflexões na área da saúde que são base para nossos estudos da AME-Brasil, ligando a medicina com a espiritualidade.

André Luiz atua como um repórter que, viajando para o mundo espiritual, descreve com muita vivacidade, com muita profundidade, como é essa vida lá. Ele nos deixa muito claro que a nossa vida no mundo espiritual é uma consequência, uma continuação da nossa vida no plano material, aumentando nossa consciência quanto à importância de aproveitarmos a presente encarnação. Ele traz muitos detalhes da relação do mundo espiritual com o material, o processo obsessivo, a importância do pensamento como instrumento de comunicação com o mundo espiritual e a importância da vigilância de nossas ações, pensamentos e emoções.

Nosso lar 2, que é baseado em Os mensageiros, vai abordar algumas questões muito interessantes, principalmente com relação aos médiuns, aos doutrinadores que falharam e à influência dos Espíritos em nossas vidas. André Luiz vai aprofundar algumas questões muito importantes, como o esforço que a espiritualidade faz na preparação dos nossos Espíritos, para encarnarmos e aproveitarmos a vida; as promessas que fazemos e aqui chegando esquecemos, nos dando conta que não soubemos aproveitar todo o esforço, todo o amparo da espiritualidade para que chegássemos aqui e pudéssemos progredir um pouquinho mais.”

Próximas Matérias