AMIGO FOLHA ESPÍRITA

Você pode ajudar a divulgação da Doutrina. Colabore com a Folha Espírita e faça a sua parte

Quero Contribuir

ir

ir

ir

ABRIL/2024

ir

MARÇO/2024

ir

FEVEREIRO/2024

ir

JANEIRO/2024

ir

DEZEMBRO/2023

ir

NOVEMBRO/2023

ir

OUTUBRO/2023

ir

SETEMBRO/2023

ir

AGOSTO/2023

ir

JULHO/2023

ir

JUNHO/2023

ir

MAIO/2023

ir

ABRIL/2023

ir

MARÇO/2023

ir

FEVEREIRO/2023

ir

JANEIRO/2023

ir

DEZEMBRO/2022

ir

NOVEMBRO/2022

ir

OUTUBRO/2022

ir

SETEMBRO/2022

ir

AGOSTO/2022

ir

JULHO/2022

ir

JUNHO/2022

ir

MAIO/2022

ir

ABRIL/2022

ir

MARÇO/2022

ir

FEVEREIRO/2022

ir

JANEIRO/2022

ir

DEZEMBRO/2021

ir

NOVEMBRO/2021

ir

OUTUBRO/2021

ir

SETEMBRO/2021

ir

AGOSTO/2021

ir

JULHO/2021

ir

JUNHO/2021

ir

MAIO/2021

ir

ABRIL/2021

ir

MARÇO/2021

ir

FEVEREIRO/2021

ir

JANEIRO/2021

ir

DEZEMBRO/2020

ir

NOVEMBRO/2020

ir

OUTUBRO/2020

ir

Cada ensinamento no seu tempo

“Por que os Espíritos não ensinaram desde todos os tempos o que ensinam hoje? Não ensinais às crianças o que ensinais aos adultos, e não dais ao recém-nascido um alimento que ele não possa digerir […]” (Kardec, O livro dos Espíritos, questão n. 801).

Quando colocamos uma luz muito forte diante dos olhos de alguém, ela ofusca, pois nossa visão não está preparada para um foco intensivo de luminosidade. Então, ao invés de ajudar, prejudicamos. Assim acontece com os ensinamentos, que devem ser apresentados em conformidade com a estrutura intelectual das pessoas, permitindo que elas consigam absorvê-los em plenitude.

A Providência Divina, no âmago de seu laborioso programa de apoio ao homem na Terra, vem paulatinamente oferecendo as informações necessárias para que deixemos o estado de selvageria para alcançarmos a condição de angelitude. As lições estão chegando frequentemente.

Moisés, inspirado pelos benfeitores da humanidade, registrou os dez mandamentos, que permanecem conosco até o momento como um manual de conduta e bússola norteadora das nossas ações. São preciosos itens que, se seguidos, conduzem a criatura humana à felicidade. Após, Jesus se apresentou ao mundo, trazendo pessoalmente a Boa Nova, ou seja, seu Evangelho, reafirmando os dez mandamentos e ampliando-os infinitamente para que pudéssemos aprofundar nossas reflexões e análises acerca dos assuntos divinos. Colocou em nossas mãos um notável código moral, apontando com segurança ao homem a estrada da ascensão espiritual.

Já em 1857, Allan Kardec, em confirmação ao texto do Evangelho do Cristo, informando que Seus ensinamentos seriam esquecidos e que, portanto, haveria necessidade de, no tempo certo, enviar um consolador, que ficaria eternamente conosco, codificou a Doutrina Espírita, apresentando a todos nós o mundo espiritual e sua íntima relação com o mundo físico. Os Espíritos, mais intensivamente, falaram aos ouvidos humanos, mostrando que a morte não existe e que a vida continua nas “muitas moradas na casa do Pai”.

A partir de 1927, com o advento de Chico Xavier, a Terra começou a receber uma quantidade imensa de livros ditados pelos próprios Espíritos, por intermédio da psicografia desse fantástico médium. Até ao final da sua existência, foram mais de quatrocentos livros versando sobre os mais variados temas.

Outros médiuns e escritores encarnados se juntaram a ele, e a literatura espiritual hoje é vastíssima, estando ao alcance dos interessados. Detalhadamente, temos ricas informações sobre a vida fora do corpo. A morte deixou de ser o fim de uma vida para transformar-se apenas em uma metamorfose, em que trocamos a existência material pela espiritual, continuando com os nossos sonhos, ideais, anseios e desejos de felicidade junto aos seres amados.

Com a publicação, em 1943, do livro Nosso Lar, pelo Espírito André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xavier, e das demais obras do mesmo autor espiritual, minuciosas informações chegaram ao mundo dando notícias de como aportamos à vida espiritual, nossa estadia nas colônias lá existentes, como preparamos nossa volta ao mundo físico para novas reencarnações e uma infinidade de dados valiosíssimos que servem de base para que tracemos nossas metas aqui na Terra.

Então, tudo vem no tempo preciso. Em hipótese alguma podemos afirmar que a Bondade Divina não tenha, com muita frequência, oferecido ao homem todos os recursos de que ele carece para realizar seu progresso espiritual.

Façamos uma acurada reflexão e identificaremos o amor divino caminhando sempre conosco. Que tenhamos olhos de ver e ouvidos de ouvir…

Próximas Matérias