AMIGO FOLHA ESPÍRITA

Você pode ajudar a divulgação da Doutrina. Colabore com a Folha Espírita e faça a sua parte

Quero Contribuir

ir

ir

ir

ABRIL/2024

ir

MARÇO/2024

ir

FEVEREIRO/2024

ir

JANEIRO/2024

ir

DEZEMBRO/2023

ir

NOVEMBRO/2023

ir

OUTUBRO/2023

ir

SETEMBRO/2023

ir

AGOSTO/2023

ir

JULHO/2023

ir

JUNHO/2023

ir

MAIO/2023

ir

ABRIL/2023

ir

MARÇO/2023

ir

FEVEREIRO/2023

ir

JANEIRO/2023

ir

DEZEMBRO/2022

ir

NOVEMBRO/2022

ir

OUTUBRO/2022

ir

SETEMBRO/2022

ir

AGOSTO/2022

ir

JULHO/2022

ir

JUNHO/2022

ir

MAIO/2022

ir

ABRIL/2022

ir

MARÇO/2022

ir

FEVEREIRO/2022

ir

JANEIRO/2022

ir

DEZEMBRO/2021

ir

NOVEMBRO/2021

ir

OUTUBRO/2021

ir

SETEMBRO/2021

ir

AGOSTO/2021

ir

JULHO/2021

ir

JUNHO/2021

ir

MAIO/2021

ir

ABRIL/2021

ir

MARÇO/2021

ir

FEVEREIRO/2021

ir

JANEIRO/2021

ir

DEZEMBRO/2020

ir

NOVEMBRO/2020

ir

OUTUBRO/2020

ir

Reclamar menos, agradecer mais

“Dai graças por todas as coisas, pois isso é o que Deus quer de vós” (Paulo/Tessalonicenses, 5:18).

A Providência Divina, sempre a nosso favor, sábia como é, entende, perfeitamente, o que é melhor para cada uma de nós, proporcionando condições para que façamos o nosso progresso espiritual, na direção da paz e da felicidade que tanto queremos. Então, visando ao nosso próprio equilíbrio, evitemos reclamações, lamentações e críticas sobre aquilo que ainda não compreendemos.

Ante os desafios da vida, ao longo dos nossos dias, podemos fazer rogativas a Deus, pois Jesus nos disse “pedi e obtereis”, “batei, e a porta vos abrirá”. Com paciência e calma, devemos esperar as respostas do Criador, pois muitas vezes não receberemos o que pedimos, mas, sim, aquilo que precisamos e merecemos. É muito importante nos habituarmos a agradecer o que temos, pois sempre existe uma infinidade de criaturas que possuem bem menos do que nós.

O barulho, a algazarra e as preocupações que nossos filhos nos dão, por certo, são o sonho de muitas criaturas que não conseguem ser pais.

O patrão autoritário e insensível que nos assegura o emprego, garantindo o sustento da família, sem dúvida é o desejo dos pais de família desempregados.

O alimento escasso que serve a nossa mesa, certamente, é o sonho de inúmeras criaturas que seguem pela vida passando fome.

A casa simples e apertada que nos acolhe, entre dificuldades e incômodos, claramente será a maior busca daqueles que vivem sem teto.

O carro velho e problemático que proporciona muitas despesas, por certo, é o maior desejo de quem somente anda a pé.

A roupa humilde que conseguimos comprar, com muito esforço, pode ser o sonho daquele que veste somente o que ganha, mediante a caridade alheia.

A família nem sempre ajustada e, muitas vezes, repleta de confusões e conflitos pode ser o maior desejo de quem vive ao abandono.

Em realidade, cada um de nós está exatamente onde deve estar, mas isso, obviamente, não impede nosso empenho em prosperar sempre para condições melhores. Na verdade, o que precisamos é corajosamente evitar reclamações e inconformismo, usando as nossas forças para agradecer sempre o que a vida tem nos proporcionado, pois Deus, dentro da sua bondade e misericórdia, a ninguém desampara.

O agradecimento jamais nos remeterá ao comodismo e à inércia, e sim proporcionará mais ânimo e determinação, propiciando maior aproximação com a Providência Divina que observará em nós, pela lei da atração, condições favoráveis para socorro maior.

A mesma força que usamos para reclamar podemos direcionar para agradecer. A primeira nos atrela ao pessimismo, já a segunda nos mantém no patamar do otimismo. Reflitamos!

Próximas Matérias